quinta-feira, 2 de julho de 2020

K

Estio

Na longa noite
Em que o teu vento
silvou
Em que os arbustos
se ofertaram ao teu
prazer
Ouviu-se o estrondo,
o tremor,
um pânico quase
religioso
Que não mais era
Que o aflorar dos teus
lábios
aos meus
no mais puro,
virginal dos beijos,
Olhos nos olhos,
a paixão que goteja,
um sorriso furtivo
na glória dos campos
deste Estio sereno...

(dedicado à 
minha querida Susana)

(foto: Lisboa, 
zona de Entrecampos) 

Etiquetas: , , , , ,

quinta-feira, 4 de junho de 2020

K

Bolha do Tempo I




















Um dia,

irei enfiar-me

{numa Bolha do Tempo}

assim;

e nessa Bolha do Espaço

terei todos os Livros,

os meus, os desejados

e os desconhecidos...

E, tendo Einstein como Mecânico,

nessa Bolha as Horas e

os Metros Cúbicos

não passarão,

não serão ocupados,

e os Livros serão

Biblioteca confortável,

iluminada por luzes baixas:

veleidades

palacianas do Século da Enciclopédia (...)

E eu lerei pelo prazer,

pelo leve gozo estético,

reclinado qual nobre romano,

sobre um Banquete

que nem Lúculo,

ou mesmo qualquer César,

ou Manuel, o Venturoso,

ou mesmo Soleimão, o Magnífico

ou Vitória, Imperatriz das Índias,

ou mesmo algum Monarca da Casa de Saud,

alguma vez,

mesmo na mais extravagante

mania onírica,

puderam conceber...

(...)

Lentamente

Esgueira-se a

Desdenhosa

Estultícia...

(Texto publicado
originalmente na 
minha página 
do Instsgram)

Etiquetas: , , , , ,

quinta-feira, 14 de maio de 2020

K

Fénix Renascida


  • Uma cara linda
  • predizendo alguém lindo, 
  • um cabelo amorfo
  • e a paz nuns olhos que se afundam 
  • entre boas estrelas, 
  • caminhos que, 
  • mirando,
  • descem
  • num plano inclinado
  • até ao seu colo, 
  • promessa de oásis, 
  • de jardins de delícias, 
  • perdoe-me a invasão
  • e a franqueza. 
  • Porque são tão transparentes
  • no entanto, 
  • reflectem
  • a beleza entre dois piscares de olhos
  • um predicado entre dois olhos nacarados
  • (...) 
  • assim me retiro na secreta esperança de pouco ter incomodado...

(Imagem: foto do autor obtida com telemóvel,
A noite em S. Sebastião, Lisboa/2020)

Etiquetas: , , ,

segunda-feira, 13 de abril de 2020

K

UM DIA SÓ


  1. Um dia ficarei só,
  2. propício género,
  3. alfabeto transido.
  4. Não chegarão as
  5. letras que tragam
  6. as ondas e limos,
  7. a areia, grumete
  8. de navio-escola,
  9. será a farda do
  10. correio que trará 
  11. as cartas devol-
  12. vidas, porque só,
  13. o destinatário só 
  14. não existirá, nem
  15. será gente, não e-
  16. xiste e nada diz.
                       
                        (foto do autor 
                    obtida com telemóvel:
                     Lisboa, Inverno/2020) 
             
(poema publicado originalmente no meu Instagram: https://www.instagram.com/p/B-YObQljAUeVtmgEk-UKVdnC8ON-afvvnvsv-c0/?igshid=1ikl2r1vyxqr1) 

Etiquetas: , , ,

segunda-feira, 30 de março de 2020

K

Sacerdotes

Enfim só.
Só eu,
não tenho de agradar,
esperar,
fazer conversa,
apenas eu e o meu Duplo,
apenas eu 
e a busca
do Outro 
que não é para encontrar,


Víboras sagradas
Trazem em seus dorsos
Resquícios 
Serpenteantes,
Oferendas maiores 
A sacerdotes suicidas.

(Livro Reptilário,
foto de Laurence Olivier, 
ensaiando para Hamlet,
finais dos anos 40)

Etiquetas: , , ,

domingo, 15 de março de 2020

K

E










É claro que nada espero. É neste plano inclinado, é neste deslize, é por aqui que sigo. Espero pouco, em minhas mãos estarão a vida e a morte, eutanásia de mim mesmo. E nada espero, pois, em cima da cabeça, evola-se o peso da culpa de existir. Existência que pouco deu, ergo a taça e a cicuta, envolvo os que me conheceram (enfado e dor, desgraçados) em abraços, fogos-fátuos, encaminhando-os para o cendrário, em bestial oração: esqueçam-me e guardem os meus versos em jornais de embrulhar peixe, esse peixe mais sanguinolento e fétido, memória tosca: moi même! (Imagem: pintura de Goya, conhecida por “Átropos/Las Parcas”)

Etiquetas: , , ,

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker
online