terça-feira, 26 de junho de 2012

K

cornucópia

Voltei atrás,
o tempo fitou-me,
para lá dos meus ombros.
Estreitei os meus olhos,
a busca inútil,
os olhos fechados
em espanto tinto
na chama do regresso.
Vem!
Sê audaz na busca!
Faz dos teus olhos
os diademas da tua vitória,
que o teu pulso
seja o signo da tua libertação,
que os teus pés estejam calçados
no clamor da paz.
O tempo fita-me,
os meus olhos abraçam
a imensidão dos sentidos.
Já não há restos de glória,
apenas os tempos mudaram:
os desaires,
as desgraças,
as derrotas,
as privações,
foram levadas pelos torvelinhos
da espuma das cornucópias.
Talvez o tempo seja agora o dono
das margens da abundância,
percalço ambicionado
de uma barcaça que não afundou!

(fontes das imagens:
1ª e 2ª: do autor obtidas com telemóvel
http://www.thebargemaria.com/thebargemaria/Home.html)

sábado, 16 de junho de 2012

K

Iago


Se erguer as mãos,
                            em jeito de cálice,
se sorrir para ti
                            em jeito de avidez,
se, na tua ausência,
                            em jeito de pesar,
erguer holocaustos,
então saberás 
que a minha religião
entranha-se
pelo meu desejo,
mescla de (ir)reverência,
combinação de mil travos,
de aromas que até o Oriente
tragou já,
na busca delirante 
de uma passagem 
para Sant'Iago...


(fonte da imagem:
http://cagareus.blogspot.pt/2008_05_01_archive.html)

Etiquetas:

segunda-feira, 11 de junho de 2012

K

serena sereia

Não vale a pena ergueres a tua madrugada
no teu canto mesclado de azul e verde;
fala antes para a tua sombra,
seja a melancolia a tua obra
mestra
que sustenta toda a tua vida,
como se fosse o teu Graal.
Há quanto tempo és sol e lua,
advento das auroras
dos dias felizes?

Ergue agora as tuas mãos em cálice,
vibra no fogo da tua mocidade,
cria uma amálgama
de dor e júbilo,
e canta,
canta sempre
aos marinheiros
e a todos os Ulisses
que navegam pelas águas
brancas de temor.


(fonte das imagens:
http://teives.com/books/five-run-away-together
http://mar-e-marolas.blogspot.pt/2011_02_01_archive.html)

Etiquetas:

domingo, 3 de junho de 2012

K

abraço


... e é no abraço do Sol,
na quietude morosa
dos seus raios
que me deixo banhar
por infinitas tristezas,
por um largo contentamento,
entre vagas marés de alento,
entre fragas e rudezas.


(fonte da imagem:
http://freerandomwallpapers.com)

Etiquetas: ,

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker