domingo, 3 de junho de 2012

abraço


... e é no abraço do Sol,
na quietude morosa
dos seus raios
que me deixo banhar
por infinitas tristezas,
por um largo contentamento,
entre vagas marés de alento,
entre fragas e rudezas.


(fonte da imagem:
http://freerandomwallpapers.com)

2 comentários:

Teresa Poças disse...

Respondendo à sua pergunta acerca do conto que publiquei no meu blog, não, não tem continuação. Aliás, nunca tinha pensado acerca disso nem que valesse a pena, mas vou considerar.
Obrigada pelo conselho!

Rafeiro Perfumado disse...

Abraçar o sol é arriscar-se a apanhar um escaldão...