domingo, 18 de janeiro de 2009

K

algoritmos de vida...

Esqueci o sonho,
ele esqueceu-me:
deambulei, olhos lívidos
de espanto,
pela maré fria da saudade.
Fui só,
medi meus passos,
visei madrugadas,
que só caminhos de longe
me trariam.
Vi sóis nascendo,
em horizontes casuais;
ocasos perdidos,
entre rochas dispersas.
O sono sem sonhos
afastava-me da aragem,
do corpo.
Misteriosa Lua
que, gentil,
me depositou
na Estrada de Santiago...

(imagem retirada da net)

Etiquetas:

13 Comentários:

Anonymous Eternamente Menina (Menina Marota) disse...

"...O sono sem sonhos
afastava-me da aragem,
do corpo."

O sono sem sonhos é como um céu sem estrelas. Torna-se escuro e o infinito nem se imagina.

Gostei.

Um abraço e um excelente domingo ;)

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Poesia Portuguesa disse...

Espero que não te importes que tenha levado "emprestado" um poema teu.

Um abraço e um excelente 2009 ;)

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Fenix disse...

“O Sonho comanda a vida” e “Não tem prazo de validade”…
Se o esquecermos ele esquece-nos…
Lutemos pois, por ele, com a Vontade que Move Montanhas!

Abraço
Fenix

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Paula Raposo disse...

Através da Poesia Portuguesa tenho o imenso privilégio desta visita. Obrigada pelos poemas belos, daqui. Beijos.

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Jaime A. disse...

Menina Marota:
O infinito deixa-nos tímidos; a todos. O sono terá de ser sempre povoado.
Um excelente semana.

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Jaime A. disse...

Aprecio a sua "força", Fenix.
Concordo: há sonhos que não podem ser esquecidos; a sua perseguição é imperativa.
Grato pela visita e uma boa semana.

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Jaime A. disse...

Paula:

Agradeço muito as suas palavras de encorajamento.
É sempre bem-vinda.
Beijos

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger moriana disse...

a Estrada de Santiago encanta-me desde menininha :) gosto de estrelas...

bjs.

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Jaime A. disse...

Foi dos primeiros espantos que tive na minha primeira (tardia) observação celeste.
É também um caminho...

domingo, 18 janeiro, 2009  
Blogger Carla disse...

a vida em sonhos feitos de estrelas...lindos poemas aqui descobri
parabéns

terça-feira, 20 janeiro, 2009  
Blogger Jaime A. disse...

Grato pela visita e pelos comentários.
Será isto poesia?

quarta-feira, 21 janeiro, 2009  
Blogger Ana Matias disse...

Oi Jaime!
Estou muito grata pela visita!
Adorei seus poemas!
Parabéns!
Beijos!

quinta-feira, 22 janeiro, 2009  
Blogger Jaime A. disse...

Volte sempre!
Muito grato por suas palavras.

sexta-feira, 23 janeiro, 2009  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker