sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

o que carregas


Palavras ecoam,

entre rios,

paredes vagas.

Sorrio-me:

à madrugada

que carregas,

às letras, sintagmas,

Pessoa, é certo.

Tacteias um espaço

escondido nos teus limos,

nesses teus musgos,

que só o Sol sabe.

Ganhaste o tempo, brindou-te o caminho,

o teu canto é a tua paz!!


(inspirado num poema de Helena Domingues)
(imagem retirada da internet)

Sem comentários: