sexta-feira, 12 de dezembro de 2008

harmonia mundii

(...) em curvilínea lassidão.
Achega-se a ti.

Não há temor,

sorris ao seu riso,

dois, três alvos momentos,

abraças-te em pureza,

em quase inocência.

Tuas vestes alvas

levam-nas a brisa

de um mar que escorre perto de ti.

Regressam ao riso,

à prisão do olhar.

Reflectes-te, já tarde,

na maldição dum anjo, tornado negro,

por cintilarem teus olhos...
(baseado num poema de moriana)

2 comentários:

moriana disse...

Vês? Emprestaste vida às palavras, deste a mão ao poema.

beijos.

Jaime A. disse...

Bonita imagem...

Bom fim de semana.

Bjs