quarta-feira, 3 de outubro de 2012

rodeio

(...) 
esquecer-me do que
o horizonte não contém:
eis o meu esplendor*
(...)
assim, esse rodeio
já é o meu fausto;
longe dos meus olhos
volteiam ritos,
esgares
de outros confins
não contidos
ou encerrados;
já pensei em esquecer
todos os jardins,
as alamedas escusas, até;
mas onde irão rebolar-se 
os meus olhos,
vida e morte da personagem?

*Ricardo Gil Soeiro
in espera vigilante
publicado por moriana
em 30/01/12, no seu blogue

(fontes das imagens:

Sem comentários: