terça-feira, 11 de setembro de 2012

estímulo táctil


Estava eu em Istambul,
e uma caixa-matriosca,
marosca, pois,
parou-me nas mãos,
talvez em gestos vãos;
tinha um jeito de russa,
cirílica escrita, não descrita.

Já estava eu em Londres onde,
uma caixa comprida, contida,
surripiou-se prás minhas algibeiras,
às beiras,
e era uma caixa discreta
num tom secreto de vermelho.

Entretanto em Berlim, ai de mim!
uma outra caixa-baú,
vês tu?
acotovelou-me,
tocou-me.
Era uma pequena caixa sem graça,
talvez até roída pela traça.

Afinal, das três caixas,
sem etiquetas ou faixas,
direi com ar astuto,
dentro da pequena caixa estão
o vazio e o zero absoluto!

(fonte da imagem:

1 comentário:

JOTA ENE ✔ disse...

Estimulo tactil é tudo de bom, lol