quarta-feira, 7 de outubro de 2009

sextante/desnorte











(...)
as minhas mãos buscam
caminhos de névoas,
estáticos sextantes;
os meus dedos vogam
pelas cristas das marés,
espumas de rotas,
velhas atracagens
em pulsos quebrados,
lembranças de porões ocos;
palmas uníssonas
como se fossem viris,
os austeros sons (...)

(imagem retirada da net)

2 comentários:

Paula Raposo disse...

Imagens poéticas demais!! Lindíssimo! Beijos.

maré disse...

as mãos procurando a antiga rota dos pássaros
(...)

de que forma procurar o norte?
de que monte avistarei o mar?

as mãos em concha


____

Beijo Jaime