quarta-feira, 7 de dezembro de 2016

e-s-q-u-i-n-a em aramista perfeito

Resultado de imagem para funâmbulo em arame
É na esquina dos meus pensamentos
que te espero,
espuma fugidia
em trapézio imóvel;
gabas-te do quanto deslizaste,
do quanto me fizeste confiar,
das palavras que sumiste de mim;
foste o resquício,
o travo doce,
o fugaz  negrume, 
conforto de um funâmbulo,
toda a duplicidade 
deste triunfo a que chamo "eu".

Talvez não me creias assim.
Não corro as as cordas de aço
sem um caos delicioso;
por isso,
babugem de Outono,
até de Dezembro,
sou eu que estou ali:
entre dois planos,
perpendiculares ou paralelos,
nada me importa.

 (fonte da imagem:
http://olhares.sapo.pt/funambulo-alado-foto4254470.html)

2 comentários:

alfacinha disse...

Eu fã do desafio da Maragarida cheguei nesse admirável blogue poético
Abraço

Graça Pires disse...

O funambulismo dos sonhos a tornar-nos cúmplices da vida...
Um belo poema, Jaime.
Uma boa semana.
Beijos.