terça-feira, 2 de agosto de 2016

K

noite


Já esqueci se a noite                                                       
ainda tem esquinas.                                                         
Se os meus olhos                                                             
se derramam pela calçada                                               
rebrilhante,                                                                       
é porque as travessas                                                      
ainda se intersectam                                                        
na nudez da lua esquecida.                                             
Há muito que os meus passos                                        
ecoam por onde onde os meus olhos                              
se derramam;                                                                     
há muito que sonho                                                          
com desencontros,                                                           
invulgares sorrisos                                                            
trocados entre quem                                                         
repousa,                                                                            
sobressaltado                                                                     
quando os outros,                                                             
sonâmbulos,                                                                     
se vestem                                                                         
e rumam para o trabalho.                                                 

Nós, nós, não nos vendemos                                           
por dinheiro.                                                                      
Esconjuramos o tempo:                                                    
                            compramos mais dias, meses, anos,                                                                               para que os sonâmbulos do dia,                                                       
tenham margem                     
para trocar a áspera claridade                                       
pelo doce, carinhoso manto                                           
da negritude.                                              
(fonte da imagem:
Sintra numa noite de Agosto,
obtidas com telemóvel)

(poema dito na Rádio Sim, cortesia de Margarida Fonseca Santos: http
://radiosim.sapo.pt/Detalhe.aspx?fid=1374&did=42396&FolderID=1271)

Etiquetas: ,

1 Comentários:

Blogger Graça Pires disse...

Caminhar pelo lado mais insensato da noite até descobrir as estrelas mais longínquas...
Este é um belíssimo poema.
Desta vez consegui deixar esta mensagem. Nem sempre me é possível(???)...
Um beijo.

segunda-feira, 08 agosto, 2016  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker
Article of the Day
Article of the Day provided by TheFreeDictionary

This Day in History
This Day in History provided by TheFreeDictionary

Today's Birthday
Today's Birthday provided by TheFreeDictionary

Quote of the Day
Quote of the Day provided by The Free Library

Hangman
Hangman provided by TheFreeDictionary