sábado, 19 de junho de 2010

queda III

Tens a virtude da queda,
a vertigem;
sabes os caminhos,
resvalas pelo mais baldio,
sempre;
tens nas mãos inscrito
o germe da catástrofe,
do terror...
(...)
traças,
os trilhos da vida,
tão só;
quem entende?








(fonte da imagem:
http://eubruxadeblair.spaces.live.com/,
Marc Chagall: "A queda de Ícaro")

1 comentário:

maré disse...

cedem as asas
em queda vertiginosa
como canas em fim de festa

músculo frágil
o que nos sustenta o sonho.

__

serenamente, um beijo