quarta-feira, 9 de junho de 2010

K

jorna(das)

Venho pelos caminhos da cidade:
enterro meus olhos
na busca frenética do emudecimento,
talvez dê a mão à virtude
de nada ser,
de tudo estar,
de fingir ser;
alugo-te, então, meus olhos:
já não vês a claridade,
o topo das estremas dos corvos,
já nem calcorreias os caminhos dos poentes;
sorris às minhas mãos soltas:
não as pedes,
nunca tas darei,
nem no semi-círculo dos lábios,
nem no sorriso do frouxo entardecer.

Sabes? Hoje levas os meus olhos:
passeia-los por onde não haja maldição,
                               castigo,
                               loucura.
Por que voltaste tão cedo?
(fonte da imagem:

Etiquetas:

4 Comentários:

Blogger Graça Pires disse...

Ir pelos caminhos do vento de olhar disponível e mãos soltas. Deixar que a luz dos olhos se embriague dos poentes cor do fogo. Saber encontrar a fonte pelo cheiro da sede...
Um belo poema, amigo.
Beijos.

quinta-feira, 10 junho, 2010  
Blogger Luana disse...

“Sabes? Hoje levas os meus olhos:
passeia-los por onde não haja maldição,
castigo,
loucura.”
___
Um beijo divino!!!

quinta-feira, 10 junho, 2010  
Blogger maré disse...

porque às vezes apetece olhar para além do caminho que nos pesa o passo, aceito os teus olhos.
e se preciso for, a tua voz para me narrar os dias.
a ser-me a foz
das sombras inclinadas
sobre o coração.

___
terno beijo Jaime.

sexta-feira, 11 junho, 2010  
Blogger Lídia Borges disse...

Os olhos que não ousam ver... O olhar que se deseja mais além, "onde não haja maldição, castigo,loucura" longe dos poentes.

Um beijo

terça-feira, 15 junho, 2010  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker
Article of the Day
Article of the Day provided by TheFreeDictionary

This Day in History
This Day in History provided by TheFreeDictionary

Today's Birthday
Today's Birthday provided by TheFreeDictionary

Quote of the Day
Quote of the Day provided by The Free Library

Hangman
Hangman provided by TheFreeDictionary