sábado, 8 de maio de 2010

plagiato...

à espera que a lua tenha o tamanho de um polegar em dois locais diferentes...
(texto inicial e imagem:
autoria de blindness*
publicados no seu blogue
onde me leva a corrente)


e então,

ficarei mirando
o ocaso de uma nuvem
que passa entre dois pulsares
de um coração hedonista,
na memória da manhã.
Então, talvez regresse,
e a sombra
do resto dos meus dias
more entre o Sol e a Lua,
na espuma das ondas,
serenas, esquecidas.


(*blindness, perdoas este atrevimento?)

3 comentários:

Menina Marota disse...

Tudo se perdoa quando é feito com esta beleza de sentidos.

Um abraço

Lídia Borges disse...

Um belo poema ilustrado com uma imagem deslumbrante.

L.B.

maré disse...

o sítio mais sereno para apaziguar a pulsação da memória

_____


um beijo, entre a lua e o sossegado rumor do mar