quarta-feira, 24 de fevereiro de 2010

(...)de roda(...)

Encostei-me a mim:
num orbital voltarete,
em redondilha menor,
grácil no rodopio suave
meu corpo girando,
entre volutas e colunas,
parecia um giro,
um bussolante,
um subtil bailador...










(fonte da imagem:
www.abcgallery.com,
Miró: "Azul II")

2 comentários:

maré disse...

peões
de nós
dentro de nós

tornado invertido
aspergimos
um caudal

(...)

lava
água
cinza

e amanhecemos
átomo
relíqua

na redundância da roda


____

... e, adentrando-me de Schubert, estendo-lhe um beijo

Graça Pires disse...

Uma canção de roda na lembrança...
Um beijo.