quarta-feira, 28 de outubro de 2009

ignoro



não sei
quem me trancou os pulsos;
sonhei a liberdade,
as abas ralas da escrita,
na fusão líquida
da vacuidade dos,
enfim,
trancados pulsos;
não sei


3 comentários:

Paula Raposo disse...

Os pulsos trancados é uma imagem muito forte e para mim poética...gostei muito. Beijos.

maré disse...

é liquida a incerteza que aprisiona os pulsos?

do teu sal escorrem palavras
.
.
.

um beijo azul, Jaime

Graça Pires disse...

Os pulsos trancados. As palavras à deriva pelas mãos sonhando a liberdade.
Um abraço, Jaime.