quinta-feira, 15 de outubro de 2009

viagens

As minhas viagens espraiam-se
pelos livros de sonhos;

caminho pelas páginas
estando quieto,
num sortilégio de remanso,
de esperança dormente...
enquanto tomo de aguilhão a vida,  
para que me arremesse 
para lugares-longe,
tão longe como a lembrança
de dias felizes...

4 comentários:

Paula Raposo disse...

Muito bonito, Jaime!
Mais logo às 21h30 espero-te na Biblioteca em S.Domingos de Rana.
Beijos

maré disse...

tão branca é a cal do hoje
que invento no rumor das páginas
frutos maduros guardadores de sol.

depois, marco a hora que se opõe ao longe do amor e das brisas matinais.
e que cada vez mais perto me traga o canto lírico das aves.

_______
um beijo Jaime desta soleira de estrelas

Graça Pires disse...

Viajar pelas páginas dos livros. Ficar na soleira da porta a imaginar o mundo e os sonhos.
Um abraço.

Nilson Barcelli disse...

Gostei deste teu poema. E deste forma à ideia de que ler é viajar...
Abraço.