domingo, 13 de setembro de 2009

inquietude

Caminhava na avenida
do esquecimento
prévio;
as canções haviam sido cantadas
pela exaustão da maresia.
Já não lembrava os solfejos,
os bemóis,
já não restava
um só(l) dó,
uma narrativa
impressa nas janelas
da inquietude
nas noites em claro
daquele secreto Inverno.
(imagem retirada da net)

1 comentário:

Paula Raposo disse...

Uma inquietude sem palavras. Adorei! Beijos.