terça-feira, 1 de setembro de 2009

sem vírgulas

vertiginoso vibrava teu cabelo
cascateando p'la tua vista já cega
para onde foi teu ar arisco e belo
agora que o teu colo todo se nega?

(imagem retirada da net)

2 comentários:

Paula Raposo disse...

Belas as tuas palavras...gosto muito dos poemas curtos. Beijos.

Vieira Calado disse...

Vírgulas para quê?

O que resta é saber o que aconteceu...

depois do ponto de interrogação...


Um abraço