segunda-feira, 20 de abril de 2009

Escritos da Casa III

Veio-me o sorriso,
já nada no jardim
suspenso na cercania.
apenas o sorriso,
em jeito de vitória,
sem vazio,
em nós,
já lisas as cordas;
fios que já não eram comigo.
Sorri, entre lágrimas baloiçantes...

1 comentário:

Paula Raposo disse...

E é bom o sorriso, mesmo entre lágrimas baloiçantes...beijos.