domingo, 29 de março de 2009

Um triunfo

(imagem retirada da net)

Se morresse agora,
seria mais um pião

girando em pós

de sepultura.

Faria uma festa,

um alegre triunfo,

todavia solteiro,

naquele sonho dependurado.

Seria como se fosse

aquele último dia,

mais esquecido,

estonteante,

em malhas de pião,

de meninos antigos,

calções e chapéu,

esquecendo-me,

levando os despojos

de uma funérea "garden party".

(inspirado num poema de moriana)

3 comentários:

moriana disse...

se morresse agora, como poderia saber? sabe-se?

bjs.

Jaime A. disse...

O que não se sabe torna-se um pião vibrante, até esfuziante desaparecer...
(aparece sempre)
Bjs

Jaime A. disse...

E se eu não morresse nunca
e eternamente buscasse e entendesse
a perfeição das coisas?
(Cesário Verde que sempre me deixa em meditação crua, numa Cidade que se quer Universitária...)