quinta-feira, 24 de março de 2011

K
La vocación de la luna
es la misma del mar:
guardar tus ojos y
tu boca 
para que tus palabras
se queden sencillas *
















baixo então os estores,
(seja-me leve o coração!)
e inclino a cabeça
na espera da gaivota,
que teima no volteio;
sorrio ao espaço,
as folhas são manchas inocentes
no desvelo com que o vento as trata;
no ar pressente-se a sujeição dourada,
a terna entrega da cidade ao rio, 
na entre-vista de Veneza,
na magia do regresso às águas;
sei a tua vocação,
sei que me preparas o caminho,
é para os simples que me crias,
e da minha boca só sairão as palavras...
(...)
que dizer, pois, do pulso 
em que converge a mão,
e que exalta a tecla 
e endeusa a pena?...

(*autor desconhecido)
(fonte da imagem:
http://www.jordelia.com.br/category/livros/;
"Torre de Babel de livros")

Etiquetas:

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker