sexta-feira, 4 de março de 2011

grande
É na brusca inquietação
que os meus olhos presos
procuram as praias marejadas
pelos prantos que lá deixaste.
Ansiosas, as minhas mãos vogam
pelo espaço que lhes tolero,
buscam as velas içadas,
os mastros da partida.
As latitudes marcam o meu tempo,
sou mestre e escravo de uma bússola louca,
cinjo as minhas mãos,
encosto os cotovelos.
À parte, o tropel dos sonhos,
o cerrar das portas,
vislumbram os céus
carregados de espumas.

Já provaste a certeza
das coordenadas,
das emoções condenadas?
Já enrugaste os teus pensamentos,
lavrados entre lençóis de devaneio?
Marca o teu caminho,
alinhava os teus passos
e foge da sujeição,
ganha os céus
e cavalga as nuvens,
o teu destino é muito mais do que os astros!


(fonte da imagem:
http://www.silentmotionyoga.com/)

Sem comentários: