quarta-feira, 16 de março de 2011

Evocação
Sólo una cosa no hay. Es el olvido.
Dios, que salva el metal, salva la escoria
y cifra en Su profética memoria 
las lunas que serán y las que han sido.*
É nesta lembrança que me debato,
Deus de um lado, eu do outro,
as minhas mãos rotas, as Suas espadas,
as minhas preces, os Seus trovões.

Já me dói a memória, o pensamento,
se Ele salva o pecador, que me perdoe
que me eleve no Seu indulto
e com o Seu sorriso me afague.

É tarde, a hora abalou,
o céu acolhe a Lua,
a que é, a que foi.

Sorrio aos Céus, Sua morada,
e evoco a forja do meu resgate,
resgate da minha escória...

(*Jorge Luis Borges,
"Antología poética
1923-1977")
(fonte da imagem:
www.victorscheneider.blogspot.com/)

Sem comentários: