sexta-feira, 2 de abril de 2010

perdas

Nos umbrais da dúbia floresta,
saltitando pelas pinhas
que as fogueiras esqueceram;
subtilmente,
escorriam as urzes
submergindo as minhas penas,
os meus degredos,
os meus olhos
tão cegos de tanto ver!
Perdi as vistas
pela luz roxa,
entre os ramos:
vaidosamente,
digo,
num carisma atónito...


(fonte da imagem:
http://3ricko.wordpress.com)

2 comentários:

Graça Pires disse...

Tantas vezes me perdi dentro de mim. Tantas vezes me encontrei sem me esperar...
Um beijo e uma Páscoa com Amor.

maré disse...

é a cegueira mais densa.
mas é também, quando se dissipa, a que mais indica a geografia do caminho a seguir.


*

beijo