quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

cálice











mergulho o cálice da loucura
nas preces erectas do abismo;
nada se perdeu,
apenas o restolhar manso da vaza  

(imagem retirada da net)

4 comentários:

Paula Raposo disse...

Gsto imenso da música dos teus poemas!!
Beijos.

Nilson Barcelli disse...

Gostei.
Objectivo e com capacidade de síntese.
Com 2 ou 3 imagens poéticas muito bem conseguidas.
Abraço.

maré disse...

pudesse eu explicar

o restolhar do fogo

este ardor lento

longo

que me arrasta o pensamento

pudesse eu explicar

esta forma humana em que me consumo


*

beijo e um sorriso que se adentra noite fora

Graça Pires disse...

Na maré vaza vão tantas das nossas mágoas que só as "preces erectas do abismo" nos salvam da loucura.
Muito belo, o poema, Jaime.
Um abraço.