quarta-feira, 22 de julho de 2009

o chamado das sombras


(…) porque possuo
nos olhos o apelo
errante das sombras.
(Graça Pires in Ortografia do Olhar)

Vejo as sombras em volteios,
e refluxos,
tomam-me as mãos
como se fossem suas,
estrangulam-me o ventre
entre duas passadas.
Inquieto-me.
Meus olhos sorriem
em duas voltas surdas,
mas sinto o corpo em rajadas
quase submersas.
Sou jogado contra a parede esquálida,
e a perturbante viagem começa
num vago mistério final…
(imagem retirada da net)

2 comentários:

Vieira Calado disse...

Muito bem esgalhado!

Um abraço.

Paula Raposo disse...

Gosto muito da poesia da Graça. O teu poema está excelente! Beijos.