sexta-feira, 8 de agosto de 2008

...entre os dedos


Levitam os ares,

sopram os encantos;

entre os dedos

erguem-se pedras,

rochas antigas,

em que os tempos falavam,

roçavam a memória.

Hoje, teus dedos sussurram suspiros,

trejeitos d'ontem;

as mãos recolherão

a imagem da terra.

Entre suspiros me deito;

há caminhos na terra,

sulcos de desejo,

a memória eleva-se,

o corpo amorna-se,

enrola-se,

abraça-se no vazio das imagens,

das falésias dos sonhos...


(inspirado num poema de moriana)

1 comentário:

Pedro_Nunes_no_Mundo disse...

engraçado...

também sempre achei que a terra nos eleva em possessão e em sonho
não só o ar e o vento
(...talvez a ligação a ela e o seu amor)

mas é preciso saber ouvi-la, não é?

talvez quedo, silencioso, receoso e expectante se lhe oiça o murmúrio, e que ele nos transporte

grande abraço