domingo, 27 de julho de 2008

...


...em nó me enlaço,

fujo, mas não.

Há um soco vão,

uma corda dura,

um arco maldito,

uma força,

uma razão louca,

em sangue jorrante!

Fúria vencida,

um quase vento,

um ciclone (a tua mão...)

ata-me,

larga-me em espaço vazio,

em buraco, em furo,

e enlaça-me

na doçura do quedar-se,

no borralho,

naquela brasa pulsante

onde o chão se foi,

e a cinza,

essa,

assim ficou...

(inspirado em blindness)

(Fotografia de J.N.)

Sem comentários: