sexta-feira, 23 de novembro de 2007

"We all..."

Standing bellow the thin thread
of the void, shamelessly looking
at a point I could not reach,
I tried to keep my loneliness
untouched,
almost invisible.
I heard the noises
of ancient marches:
the flutes,
the violins,
all the dreams,
that made my heart
to jump forward,
into time,
to bounce
into space,
unveiling myself,
exposing me.
And still I stood
all by myself,
old,
ancient memories
trying to knock me out...(...)
All of a sudden
I heard voices,
songs.
A hand over my shoulder
and shouts of joy
all around me:
"We all stand together!!!!!!!"
(from a blindness's audio post )

4 comentários:

Blindness disse...

Ter uma mão no nosso ombro é um grande feito, não pensem que as amizades são feitas do nada.
Os amigos não se conhecem, reconhecem-se, mas nem todos conseguem reconhecer amigos neste curto percurso.
É pois um grande feito poder afirmar "We all stand together!!!!"

Jaime A. disse...

É sim, blindness. A amizade é um reconhecimento gradual entre duas pessoas e isso é lindo. Espero é que nem todos tenhamos de caminhar pelo deserto até encontrar um amigo
em qualquer oásis.
Um beijo

helena disse...

O amigo, está aqui neste pequeno espaço.
Não foi necessário ir procurá-lo no deserto...
O AMIGO que soube dar-me palavras de esperança, que se preocupou,que colocou a sua mão no meu ombro .
"We'll stand together" I'm sure.

Bem hajas.
Um beijinho

Jaime A. disse...

Não tens de agradecer, Lena. Afinal, os ombros não servem apenas para lhes colocarmos parte da nossa roupa são, também espaço e tempo de acolhimento a quem queremos bem.
Um grande beijo