terça-feira, 5 de junho de 2007


Vagas antigas revolteavam

sem nexo,

iam, voltavam...

nesgamente assomavam

os rudes trombos que s'iravam.


Travavam contra as naves

e soavam,

soavam pétreos os madeiros,

que salvavam

os homens que suavam,

mantendo a derrota.


E as vagas inconscientes

do seu poder,

dementes

quási quebravam, dormentes

aqueles que por mister

o prometer era não ser

alga, areia, pedra....

escurecer...


(25/03/91)

Sem comentários: