sexta-feira, 25 de maio de 2007

Passaredo


O passaredo
voa e revoa,
liberta-se do ar e de si...

Ai passarada...
cânticos ancestrais,
trazidos pelos ares,
levados por esse passaredo,
que voa e revoa,
e nos leva com ele,
e rouba-nos às planuras altaneiras,
e traz de volta
o pó que nós somos...

(5/4/06)



2 comentários:

helena disse...

Quim
Nascemos desse pó que os nossos antepassados nos legaram, somos pó por toda a vida, seremos pó de novo na partida.
E como e com os pássaros voamos nos sonhos que fabricamos.
Beijinho amigo

Joaquim Sobral Gil disse...

Cara Helena:

É difícil admitir que somos pó. Sermos pássaros aumenta o nosso orgulho em nossos quantos por cento.
Voemos, pois, nas asas do sonho, mesmo retornando ao pó, que o sonho continua; sem medo!