sábado, 5 de maio de 2007

K

Rio


O Teja que tudo limpa,
varre as saudades,
leva as farpas doces,
o ser que fui,
a melancolia agreste,
pedaços de maresia
calcam a minha vida,
assassinada todos os dias,
retornada sempre
em fios de névoa
espartilhados pelas velas antigas
de barcos que foram
e levaram memórias
(até de mim);
iço-me ao espelho
do tempo
e apenas revejo a neblina
no meu rio
que banha a minha aldeia.

3 Comentários:

Blogger helena disse...

"O Tejo que tudo limpa"...que tudo lava, que tudo leva, e que tudo traz de novo, no seu eterno movimento rumo ao mar.
O Tejo que sendo o mesmo, nunca é igual.
O teu Tejo despertou em ti este belo poema que muito me tocou, pois revejo-me nele, no que sentia quando o olhava.
Beijinho amigo e bom domingo

domingo, 06 maio, 2007  
Blogger Joaquim Sobral Gil disse...

Ainda bem que te tocou este "Tejo", Helena.
É para isso que escrevo: por que sinto e me toca e para que toque o outro.
Boa semana

segunda-feira, 07 maio, 2007  
Blogger Quid Iuris? disse...

Para mim, com vício do mar, sempre foi difícil, talvez ainda o seja, perceber a fantasia do Tejo que tanto cantamos, escrevemos, poetizamos.Mas compreendo sentindo, que o Tejo é triste. Porque sabemos de onde vem e sabemos para onde vai, no entanto, quem lhe consegue apanhar as ondas e prende-las em palavras, compreende-o além da tristeza...ali...onde já só há poesia.

segunda-feira, 07 maio, 2007  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker
Article of the Day
Article of the Day provided by TheFreeDictionary

This Day in History
This Day in History provided by TheFreeDictionary

Today's Birthday
Today's Birthday provided by TheFreeDictionary

Quote of the Day
Quote of the Day provided by The Free Library

Hangman
Hangman provided by TheFreeDictionary