terça-feira, 15 de agosto de 2006

Aneluz

Aqui tão perto,
fios de luz
sorriem-me,
escorregando
águas adentro...
Perdem-se
por entre anéis,
anéis de espera.
Mergulho na luz,
tão azul,
e sou envolvido.
Levam-me ao fundo
pintalgado de sombras.
Abro os olhos
na solidão suprema.
E a majestade das águas
recolhe-me,
qual pétrea memória...

Sem comentários: