quinta-feira, 6 de julho de 2006

K

A um navegante

In memoriam
Fernão Mendes Pinto

Sentado no molhe,
um marinheiro
a quem o mar já não chama.
Um horizonte carregado
de alma,
de sonho
e memória.
No bolso,
um papel dobrado:

Onde
Caibo?
Este
Atlântico
Não me
Ouve.

Chove;
as águas mergulham
sobre si mesmas.
Correntezas antigas
flúem nas lembranças
que já não vêm…
Gritos abafados de gaivotas
levam consigo
velhos pergaminhos
há muito esquecidos…

4 Comentários:

Blogger pedro_nunes_no_mundo disse...

Como num truque de ilusionismo,...um papel permanece dobrado no bolso.
Será que até mesmo a natureza das coisas pode encontrar-se suspensa do seu fim?

segunda-feira, 10 julho, 2006  
Blogger helena disse...

O CAIS DO HOMEM CINZENTO

Ao princípio, era apenas o chamamento cadenciado e repetido do mar-rio.
Na terra de gaivotas, os pombos e os pardais também pousavam.
De cada vez que a água, no seu vai vem, queria tocar-lhes, recuavam uns passos.
Passos?
Os olhos vão abarcando lonjuras.
Mas perto, um homem cinzento confunde-se com a sépia do cais velho, ferrugento.
Confunde-se,
faz parte desse cais
e não quer ser acordado desse sonho-viagem,
suponho que diário.
Os barcos conhecem-no bem.
Não o acordam.
E ele, de tanto se confundir,
é já o cais onde chegam e partem ilusões.

(mas as gaivotas roubaram do seu bolso
"os velhos pergaminhos" que não mais serão esquecidos...)

terça-feira, 11 julho, 2006  
Blogger Poesia Portuguesa disse...

"...Onde
Caibo?
Este
Atlântico
Não me
Ouve."

Posso postar este poema? Gostei muito dele...

Um abraço e bom fim de semana, especialmente junto ao mar... ;)

sábado, 15 julho, 2006  
Blogger rouxinol de Bernardim disse...

A Poesia Portuguesa disse tudo!

Há coisas que só admitem a unanimidade!

terça-feira, 18 julho, 2006  

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker
Article of the Day
Article of the Day provided by TheFreeDictionary

This Day in History
This Day in History provided by TheFreeDictionary

Today's Birthday
Today's Birthday provided by TheFreeDictionary

Quote of the Day
Quote of the Day provided by The Free Library

Hangman
Hangman provided by TheFreeDictionary