sábado, 5 de agosto de 2006

Sweet, lovable Fall

O Outono
habita-me desde que me sei.
Envolvo-me em folhas
que se separam,
como pedaços de mim.
Curvam-se as canas,
a um vento chão,
ainda cálido,
como meu murmúrio.
Um Sol vai caindo,
e meu coração
despedaça-se
nas chamas que o acompanham.
Algures em baixo,
a minha sombra cresce,
é a manta que me cobre,
os olhos que se fecham,
a suave tristeza,
o doce estar só...
Um Outono que fica,
sem memória de Primavera...

1 comentário:

ProfessorGeolouco disse...

Um grande abraço para ti companheiro. Enquanto o Outono não chega vai aproveitando o Verão que bem mereces.