sexta-feira, 9 de setembro de 2011

K

umas linhas

Caríssimo!
Tive hoje a tentação de te escrever num escrutínio cego e inconsequente. 
Daqui vislumbro o Tejo e a sua ondulação simula o meu bem-estar; não, não me sinto oscilante, antes preso, atracado. Mas de que te interessará o meu bem-estar? Deves viver embrenhado no teu próprio novelo, aquele que tens vindo a "tecer" laboriosamente, na busca do silêncio e do calafrio.
Lá fora a palavra "crise" escoa-se pelas frinchas de tempos cada vez mais de ontem. É um sopro irritante, lembra os "westerns" quando, para indicar uma cidade morta, se atiravam arbustos secos - pelos planos mais próximos - acompanhados de um silvo: é esse silvo, essa agudeza, esse gume faiscante que procura cindir cada cérebro, cada coração. E há quem se deixe embalar por estas torrentes da catástrofe!
Soube hoje que as nuvens do Norte dissipar-se-ão com um gesto ritmado, uma prosa solta de gana e garra. Só faltam as vozes, os ânimos. 
Vejo a tua cara, olhos miudinhos no excesso de compreensão e falta de coragem de sair de ti próprio. Deixa! Têm de ficar alguns para que outros vão.
Vejo também esse teu abraço na espera, na rosácea vaidade que me inunda.
Espero notícias tuas e do teu jardim secreto.
Aperto as tuas mãos com calor.
J.

(imagem do autor obtida com telemóvel:
"nuvens sobre Mortágua")

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

Hiperligações para esta mensagem:

Mi

Criar uma hiperligação

<< Página inicial

"[...] Apesar de tudo o que se passa à nossa volta, sou optimista até ao fim. Não digo como Kant que o Bem sairá vitorioso no outro mundo. O Bem é uma vitória que se alcança todos os dias. Até pode ser que o Mal seja mais fraco do que imaginamos. À nossa frente está uma prova indelével: se a vitória não estivesse sempre do lado do Bem, como é que hordas de massas humanas teriam enfrentado monstros e insectos, desastres naturais, medo e egoísmo, para crescerem e se multiplicarem? Não teriam sido capazes de formar nações, de se excederem em criatividade e invenção, de conquistar o espaço e de declarar os direitos humanos. A verdade é que o Mal é muito mais barulhento e tumultuoso, e que o homem se lembra mais da dor do que do prazer."

Iniciativa Legislativa de Cidadãos contra o Acordo Ortográfico. Leia, assine e divulgue! Sopro Divino

eXTReMe Tracker