segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Contas

Quantos eus sou eu?
E quanto tempo terei
para despir este eu
que me reflecte e mata,
na totalidade da espera?
Parte do caminho está feito
no conluio do que escrevo;
nem reconheço 
o que me falta ainda penar,
na inocência de uma tira branca,
baixo relevo do suplício oculto.
(fonte da imagem:
http://myra-parole.blogspot.com/)

2 comentários:

Vieira Calado disse...

Caríssimo!

Hoje venho apenas para desejar-lhe

BOM ANO de 2011!

Saudações poéticas

Daniel Silva (Lobinho) disse...

"Parte do caminho está feito
no conluio do que escrevo;
nem reconheço
o que me falta ainda penar,"

No bom e no mau, também se aplica ao Novo Ano que se avizinha, e s~ºao os votos de paz e alegria que aqui venho dexiar :9

Um abraço :)