terça-feira, 20 de abril de 2010

e, assim, suave
não deixarei de te escrever,
entre gotículas de suspiros
e afrescos de Rafael
ou telas por cumprir;


talvez regresses
e tragas as cartas
embrulhadas em laços de beijos,
aguarelas arco-íris
desse teu sorriso límpido

(originalmente escrito em
31 de Março de 2010 07:43,
inspirado por moriana no seu
(fonte da imagem:

3 comentários:

maré disse...

imagética ternura
que pinta as cores do mais fecundo regresso...


beijo, Jaime

Graça Pires disse...

Como quem acredita na magia de qualquer afecto sabes de súbito que o coração não tem margens...
Um beijo.

Sílvia disse...

Pois as palavras não se esgotam, apenas mudam de forma.