sábado, 2 de setembro de 2006

Se tu...

Se tu quisesses,
o horizonte
era sempre laranja;
um alto monte,
a sua velha granja,
um trigo que envelhece.
Longe, a ponte
desce a mancha
que transparece
entre teus olhos
verdes,
em que mergulho,
num prazer pueril,
entre formas de
desejo...

3 comentários:

Anónimo disse...

Sou a Helena/shoshana.
Tentarei comentar-te assim, talvez siga.
Gostei do teu universo laranja que se vai transmuteando de cor. Desde as cores quentes às mais suaves e pacíficas.
Respira-se, na realidade, uma paz colorida em cada palacra que aqui deixas.
Beijinho

Anónimo disse...

Sou eu de novo
Mas este é um comentário experiência.
Um beijo
Helena

pedro_nunes_no_mundo disse...

Nessa do "horizonte laranja", como sabes, alinho bem!

Com a ressalva de que tudo que é demais cheira mal.

(Coitada da veia poética que é assim arrastada pelas ruas da política mais plebeia... Desculpa, parceiro.)