domingo, 28 de junho de 2015

vazio

E sobra sempre uma tensão, 
um receio do desconhecido, 
um pavor do vazio.


(Foto: poço iniciático,
Quinta da Regaleira,
Sintra)

3 comentários:

Graça Pires disse...

A tensão. pavor. O vazio. As noites tão apressadamente negras. O coração propício a todos os abismos...
Um beijo, Jaime.


Obrigada por me comentares. Às vezes não consigo fazê-lo no teu blog.

Daniel C.da Silva (Lobinho) disse...

Tão breve e tao belo!

Boop disse...

E é nesse momento que reside a escolha. Apesar da tensão, apesar do desconhecido, apesar do vazio, seremos capazes de ir?