segunda-feira, 19 de julho de 2010

queda VI

Mantenho os braços cruzados, fechados sob a cabeça,
mergulhados nos olhos desviantes,
na cegueira de desmentidos {acerca}...
cercando o juízo,
a dor do real,
espremida, gotejando silêncios...

[.... lá vai o maluco...]
[... eco, eco, eco...]
[... de escuridão feito!]
[.... lá vai o demente...].

(...)

Talvez volte a casa,
e poisados os arreios da fantasia,
calcorreie sonâmbulo,
novos caminhos de Sol e Lua!
(fonte da imagem:
www.abcgallery.com,
van Gogh, "Semeador
com sol poente") 

1 comentário:

Graça Pires disse...

Gotejar silêncios para nos dar um poema que faz lume no degrau das palavras, ardendo de sílaba em sílaba...
Um beijo.