sexta-feira, 15 de maio de 2009

Palavra

Entre dois quartos de lua,
rarefiz-me.

subi, montanha acima,

a palavra, a busca.

Entre dois sonhos,

refiz a busca,

não te marquei
ou sublinhei.

Entrei, em vão,

súbita presa do meu falar.

Ficou o muro por escrever,

muro que lamentei,

entre gritos vazios,

quase brancos de memória.

A busca é surda,

o manual fechado.

Passou o tempo das folhas maduras,

dos lápis nascentes.

Hoje, tudo se fechou,

e o silêncio reveste

as lombadas...
(imagem retirada da net)




Sem comentários: