terça-feira, 11 de agosto de 2009

papagaio

Sorri um sorriso
assim como
antigamente,
daqueles que parecem
já estar esquecidos.
O meu sorriso subiu
(como um papagaio,
daqueles verdadeiros,
pintalgados e tudo)
e poisou;
a criança apanhou o meu sorriso
e, entre dentes,
assobiou
como que amansando o papagaio;
nas sua mãos
o meu sorriso brilhava ainda mais
e silvava puro,
o encantamento do menino.

(...)

Lá longe,
o Sol piruetava
na alegria pura
daquelas onze horas da manhã.
(imagem retirada da net)

Sem comentários: