terça-feira, 9 de junho de 2009

um príncipe













Vem conduzir as naus,

as caravelas,

Outra vez, pela noite,

na ardentia,

Avivada das quilhas.

Dir-se-ia

Irmos arando em um montão de estrelas.
(Camilo Pessanha in Clépsidra)



Nos caminhos em que suavam as velas,
em azuis desertos, quási sólidos,
vinham e iam volteios de cigarras,
em bamboleantes cercos de miragem.
Anil fundido, estrelas sempre,
azul alternando-se
ante rostos cavados pela maresia.
Ao fundo,
entre dois pontos,
um sonho,
dum Príncipe
com um só anelo:
arar as águas,
cultivar a liberdade!

(poema publicado no blogue http://www.gps-poetasdomundo.blogspot.com/ em que participo)

(imagem retirada da net)

1 comentário:

Paula Raposo disse...

Gosto dos teus poemas...Beijos.